Buscar
  • Simpósio de Medicina Quântica Integrativa

Homeopatia é coisa séria

A homeopatia é um sistema de tratamento natural e holístico, de acordo com a Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB). Holístico por considerar o ser humano como um todo, e não somente tratar o problema ou os sintomas da doença. Natural porque os medicamentos são produzidos com substâncias de origem animal, mineral e vegetal.


A especialidade é baseada na cura pelos semelhantes. Assim, a substância que em grandes quantidades pode causar o problema numa pessoa sadia, quando diluída em altas doses pode curar a doença. A ingestão de muito café pode provocar insônia e agitação. No entanto, de acordo com a lei dos semelhantes, quando utilizado para fabricar o medicamento homeopático, a substância ajuda no combate da insônia e agitação noturna.

Em alguns casos, a medicina tradicional utiliza o mesmo princípio para desenvolver remédios, por exemplo, o estimulante Ritalina é usado no tratamento de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). Também pequenas doses de alérgenos, como o pólen, são usados para dessensibilizar pessoas alérgicas. Porém, no caso da homeopatia, as doses das substâncias são tão diluídas que não causam efeitos colaterais.


Segundo informações da AMHB, a teoria da cura pelos semelhantes tem origem em Hipócrates (460 – 377 Antes de Cristo), mas sua forma atual foi desenvolvida pelo médico alemão Samuel Hahnemann, no final do século 18. A intenção era reduzir os efeitos colaterais prejudiciais causados pelos tratamentos da época, que utilizavam venenos. Para testar, o médico experimentou em si mesmo e em voluntários saudáveis. Ele descobriu que, além de reduzir a toxidade, à medida que as doses eram diluídas, os medicamentos se tornavam mais eficazes.


Hanemann documentou toda sua pesquisa. Seus textos são a base que estabeleceu os princípios da medicina homeopática como é praticada até hoje. O profissional é considerado um pioneiro e pesquisador incansável, que batalhou para melhorar o exercício da medicina e insistiu que os medicamentos fossem testados antes do uso.


A homeopatia, conforme a AMHB, é o segundo método de tratamento de doenças mais utilizado em todo o planeta, com mais de 200 milhões de usuários em todo o mundo. A prática foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) como uma especialidade médica pela portaria CFM número 1000, em 4 de julho de 1980, mesma época em que surgiu a Associação Médica Homeopática Brasileira. Desde então, a homeopatia ganhou força e mais apoio entre a classe médica.


Regulamentada e fiscalizada - “Nosso país é o segundo no mundo em número de médicos homeopatas, exatamente porque aqui ela é uma especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB), que orientam e fiscalizam seu exercício, ensino e pesquisa. No Brasil, o ensino e o exercício da homeopatia por e para leigos é crime e é punido pelo Nucrisa (Núcleo de Repressão a Crimes contra a Saúde)”, explica o presidente da Associação Médica Homeopática do Paraná (AMHPR), Jorge Ricardo dos Santos.


O profissional destaca que a medicina homeopática é uma grande esperança para todos em uma fase tão crítica como a que vivemos hoje no mundo. “Nossa obrigação é divulgá-la e protegê-la. Bem exercida, pode ser aplicada universalmente, não se tratando de uma medicina de elite”, defende. Para Jorge Ricardo, a prática deve ser introduzida amplamente no serviço público de saúde. “Os ganhos para a população serão enormes, pois a homeopatia é curativa para a mente, corpo e para o âmago do ser”, alega o presidente.


Como benefícios, o médico aponta o aumento no nível geral dos índices de saúde da população, diminuição da mortalidade materno-infantil, franca diminuição geral de casos intratáveis e crônicos, resultando em melhoria dos níveis de satisfação pessoal da população e no crescimento da capacidade produtiva das pessoas. Outro destaque, conforme Jorge Ricardo, é a possibilidade de tratamento de crises existenciais, como as da infância, da puberdade, maturidade, menopausa e também da senescência (fase da vida entre a maturidade e a velhice).


Fontes:

https://amhb.org.br/

https://www.crmpr.org.br/


35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo